Produtores: 9 práticas que detonam sua criatividade (e como combatê-las)

Uma das batalhas que todo profissional criativo precisa enfrentar no seu cotidiano, incluindo os artistas e produtores da música eletrônica, é uma batalha interna que acontece em suas mentes, pois é muito fácil ficar preso em questões conceituais, bloqueios criativos, questões filosóficas, dúvidas, falta de produtividade, ou até mesmo ficar preso a ignorância.

Recentemente li um artigo muito interessante no site Zencha Music, e resolvi traduzí-lo livremente e compartilhá-lo aqui no site da Make Music Now, para ajudar todos que possam estar enfrentando algum tipo de batalha com si próprios, principalmente no campo da criatividade.

Confira 9 práticas que detonam a criatividade, e alguns fatos para aprender a combatê-las:

1) Você acha que uma parte da sua track é longa ou repetitiva demais

Por que não ligar: a duração ideal de cada seção da track (ou a repetição de algo) deve sempre ser medido pela audiência que você pretende atingir.

Como lidar: analise o que é apropriado para o gênero que você quer enquadrar a sua música, ou quais são as expectativas do seu público em relação ao tipo de música que você produz. Uma intro de 2 minutos só com drums numa track de Minimal Techno não seria considerada repetitiva, já em gêneros como Big Room seria tempo demais.

2) Você acha que sua track (ou algum aspecto dela) é simples demais

Por que não ligar: complexidade não significa que algo é bom, apenas signica que algo é complexo.

Como lidar: entenda que simplicidade é uma escolha estética. Muitas músicas excelentes são simples, sem contar que costumam ser mais diretas ao ponto e menos distrativas. Músicas complexas geralmente são uma aventura exótica.

OBS: se você apenas mostra suas tracks para outros produtores é fácil cair na armadilha de apenas prestar atenção em mínimos detalhes técnicos do que na música como um todo. Ao mostrar suas músicas para ouvintes “comuns”, leigos em produção, fica mais fácil saber se a sua música realmente emociona e se conecta com a pessoa, independente de pequenos detalhes técnicos ou conceituais. Claro que o fato de mostrar sua música para “leigos” e ser direto ao ponto não quer dizer ser preguiçoso na sua produção, apenas ser um pouco mais prático.

3) Você não consegue fazer o tipo de som que você quer, ou acha seu som “brega”

Por que não ligar: se você acha seu som “cheesy”/brega/bobo/pobre provavelmente você está se comparando de forma injusta com outros produtores . Ou pode estar achando muito “simples” (o que foi mencionado no tópico anterior).

Como lidar: primeiro, pare de se comparar com outros produtores. A não ser que seu objetivo seja recriar/copiar o som desse produtor, você não deve fazer isso. Também não é boa prática comparar seu trabalho em desenvolvimento com tracks que já estejam finalizadas (mixadas e masterizadas), pois você pode assim aniquilar boas ideias que precisam apenas de mais um “polimento”.

OBS: podem existir outros bloqueios mentais que você pode estar sofrendo, portanto é bom tentar identificá-los e se livrar deles, ou simplesmente ouvir sua música se colocando em outra perspectiva, de preferência se afastando dela por alguns minutos, horas ou dias, pois é fácil ficar entediado com uma música que você está ouvindo sem parar por horas ou dias.

4) Você não consegue passar um som da sua mente para o computador

Por que não ligar: a execução é sempre míope. Uma ideia musical na sua mente não é concreta, é abstrata e infinita. Ela tem potencial infinito por não estar presa a uma mídia. Coisas que não podemos ver ou ouvir sempre dão espaço pra que as encaremos como melhores. Assim que você transporta essa ideia para sua produção ela se torna realidade e perde o aspecto romântico. Não é sempre que ela vá ser menos interessante, mas na maioria das vezes acontece isso. Quase nunca você vai pensar em algo, transportá-lo pra mídia e continuar tão animado quanto antes.

Como lidar: reconheça isso. Assim que você entende que a execução é sempre míope, você fica apto a aceitar que é muito difícil fazer algo tão maravilhoso quanto o que existe em sua mente. O que é totalmente aceitável. Mas continue tentando, trabalhando firme, pois quanto mais você praticar e produzir, mais hábil para chegar próximo desse ideal você se tornará.

5) Você acha que suas tracks não são “originais”, ou todas soam iguais.

Por que não ligar: existem duas situações nesse caso. A primeira situação talvez seja o seu gosto musical, que possa ser muito limitado, o que faz com que a temática de suas produções seja limitada também, naturalmente. Já a segunda situação, mais positiva, pode ser o fato de que você já tem um gosto (ou identidade) musical muito bem definido.

Como lidar: amplie e expanda seu gosto musical ouvindo e aprendendo a apreciar uma variedade maior de música.

OBS: recomendo ler o post original, pois nele o autor dá vários exemplos sobre o assunto.

6) Você não sabe pra onde levar suas ideas musicais, fica preso em loops de 8 compassos

Por que não ligar: VOCÊ JÁ FEZ A PARTE MAIS DIFÍCIL! Criar uma ideia musical, que realmente te empolgue, é muito mais difícil (e raro) do que criar o arrangement (estrutura) da track.

Como lidar: use uma track de referência para se guiar na construção da estrutura.

OBS: o autor também oferece um curso sobre o assunto, confira aqui.

7) Você acha que não tem tempo suficiente

Por que não ligar: essa é uma questão de definição de metas e organização do tempo.

Como lidar: durante uma semana vá anotando como você usa o seu tempo, quais tarefas você faz diariamente, quanto tempo você dedica pra cada uma delas, quais delas você poderia abrir mão (ex: passar 3 horas por dia navegando no Facebook sem rumo), e quais são as suas metas atuais. Depois refaça o planejamento dos seus dias, e analise quais são as suas metas, e se elas precisam ser quebradas em metas menores, mais palpáveis e fáceis de identificar se foram cumpridas. Recupere o foco, concentre-se e parta pra ação!

8) Você fica preso em bloqueios criativos e não consegue sair deles

Por que não ligar: bloqueios criativos acontecem com qualquer profissional da área criativo.

Como lidar: crie o seu próprio método/processo/fórmula/workflow/estilo de trabalhar, e vá aprimorando-o, que esse tipo de situação vai ocorrer cada vez menos.

OBS: temos um artigo sobre esse assunto, clique aqui para lê-lo.

9) Você acha que sua música é ruim, que ela é um lixo, e começa a duvidar da sua habilidade de criar algo bom

Por que não ligar: existem dois grupos principais nesse caso. O primeiro deles é dos homens, que normalmente precisam ter um sentimento forte de auto-afirmação, geralmente as mulheres não sofrem desse tipo de necessidade, então os homens precisam saber que são capazes, e quando se vêem numa situação em que não conseguem alcançar determinado objetivo começam a se sentir inferiorizados. Em alguns casos alguns homens não aceitam esse tipo de situação, e não conseguem admitir que (ainda) não estão capacitados para desempenhar determinada atividade com maestria. Outro grupo seria daqueles que se sentem incapazes pelo simples fato de se comparar demais com outros produtores (geralmente muito mais preparaods e experientes).

Como lidar: muitos de nós precisamos admitir que talvez ainda não sejamos capazes de alcançar determinados objetivos sem a preparação adequada, esse seria o primeiro passo pra buscar ajudar e evoluir, para que em breve seja sim capaz de alcançar seus objetivos e desempenhar com maestria as atividades necessárias para tal. Para o segundo grupo talvez a melhor situação seja buscar aprovação positiva para o seu trabalho, com apoio e incentivo de pessoas que gostem/acreditam em você e no que você tem feito. Aprovação positiva externa (honesta) é sempre bem-vinda.

===================

Para ler o artigo original no site Zencha Music, basta clicar aqui.

Espero que as dicas te ajudem a continuar motivado sempre que alguma pedra surgir no caminho da sua criatividade. 🙂

Você se identificou com algumas das situações acima? Deixe um comentário.

About The Author

Felippe Senne

www.makemusicnow.com.br