Divulgação do seu trabalho: como não ser refém das redes sociais?

Essa história sempre se repete: um artista (DJ, produtor, banda, etc) escolhe uma rede social para expor seu trabalho pela internet e manter contato com os fãs, acreditando estar seguro para usar o serviço como uma espécie de site próprio, e tendo a falsa impressão de que aquilo é seu.

A partir daí investe-se muito tempo, suor e dinheiro para promover seu trabalho na própria rede social, com o objetivo de ampliar a sua base de seguidores, e são criados conteúdos exclusivos, postados sets, músicas originais, bootlegs, remixes, etc.

Só que passa o tempo e as “regras do jogo” começam a mudar: surgem restrições do que pode (ou não) ser postado, os preços do serviço mudam, a qualidade do serviço muda (lentidão, SPAM fora de controle, etc), entre outros problemas, e, de repente, aquele seu excelente espaço para divulgação perde força ou simplesmente não atinge mais ninguém.

Foi assim com o Myspace, que devido a falta de controle dos seus administradores virou uma bagunça e um antro de SPAM, foi assim com o Orkut, que não soube evoluir a qualidade do seu serviço e também sofreu com o SPAM fora de controle de seus usuários, também com o Twitter, o qual desabou de popularidade no Brasil.

E algo parecido está acontecendo agora com o Soundcloud: devido a pressão das gravadoras, o mesmo vem removendo conteúdo de seus usuários, e também encerrando contas sem uma comunicação prévia muito clara.

E a questão que surge é: até quando vamos optar por nos tornarmos reféns de uma rede social para nos comunicarmos diretamente com nossos fãs?

Talvez essa questão seja nova pra você, porém, pros profissionais de marketing digital essa é uma preocupação gigantesca, inclusive é algo que passei a dar atenção depois de ter feito um curso de marketing, no qual existe um módulo específico sobre o assunto.

Levantei essa questão em um dos posts da minha fanpage, e começaram a pipocar sugestões de alternativas ao Soundcloud, e não foi muita surpresa pra mim o fato que a maioria das pessoas me aconselhou a pular para outra rede social (Mixcloud, Clowdy, etc).

Mas aí que está o grande X da questão: depois da experiência de conquistar e perder audiências, gastando muito tempo e dinheiro, no Myspace, Orkut, Twitter, Facebook, Soundcloud, etc, será mesmo que a grande solução é, mais uma vez, mergulhar de cabeça em outra rede social?

E a resposta, na minha opinião, é muito simples: NÃO!

Então, afinal, qual seria a grande solução para essa "ditadura" das redes sociais?
A resposta é muito simples, e pode até ser meio sem graça: o bom e velho EMAIL! 🙂

Uma lista com os emails dos seus fãs e seguidores te dá total liberdade para você se comunicar e trabalhar a divulgação da sua carreira da melhor forma possível, sem depender das "regrinhas" de ninguém, e sem depender da popularidade ou funcionamento do serviço de terceiros.

Com a sua lista de emails você pode rapidamente comunicar o lançamento de novas tracks, sets, bootlegs, etc, sem precisar torrar uma grana em posts patrocinados ou anúncios, e sem depender de algoritmos maliciosos das redes sociais, que costumam controlar o que as pessoas recebem.

Pode parecer uma solução boba a primeira vista, mas, caso você tenha milhares de seguidores numa rede social, e consiga montar uma lista de email dessas pessoas, você não precisará se preocupar se no futuro um Facebook, Soundcloud, etc, vá perder popularidade e com isso você perder o meio de comunicar-se com seus fãs.

Recentemente comecei esse trabalho de cadastramento dos meus seguidores no Facebook através do meu site pessoal, confira como funciona a ideia, é bem simples: http://goo.gl/C67yGY

Não pretendo com esse post ensinar como fazer isso tecnicamente, caso queira começar algo parecido sugiro fazer uma pesquisa sobre "email marketing" na internet, ou se inscrever em um bom curso de marketing para artistas, como o da AMD.

Portanto, fica o alerta para que você nunca deixe a sua presença online se limitar a perfis em redes sociais, e que você sempre colete os emails dos seus fãs... palavra de quem tinha um perfil no Myspace com mais de 45.000 contatos, o qual hoje em dia não serve pra nada. 🙁

UPDATE: algumas pessoas me perguntaram se o que estou propondo é simplesmente abandonar as redes sociais, e a resposta é NÃO, pois as redes sociais são excelentes para expor o seu trabalho a possíveis novos fãs e futuros seguidores do seu trabalho, e também são excelentes para comunicar suas novidades. Porém a ideia é usar o seu website e a sua lista de emails como o seu "quartel general" na web, e não deixar essa função para um perfil de rede social, o qual pode ser deletado a qualquer momento e sem aviso prévio.

Você tem mais alguma dica sobre o assunto? Deixe um comentário.

About The Author

Felippe Senne

www.makemusicnow.com.br